PAE

UM REDUTO DE PAZ DE "MARIA DOLORES"

Direitos autorais nas hostes espíritas, uma vergonha!


Direitos autorais nas hostes espíritas, uma vergonha! 

Jorge Hessen
jorgehessen@gmail.com 
Brasília/DF

Há instituições filantrópicas exigindo e cobrando atualmente por “direitos autorais” dos conteúdos e imagens de alguns ilustres figurões palestrantes “espíritas” que estavam sendo exibidos nalgumas tv’s (GRATUITAS) da Internet, razão pelo qual tais canais (GRATUITOS) correm o risco de encerramento das atividades. Isto é uma vergonha! Como diria Boris Casoy.
Alegam que o pretexto da ação (cobrança dos direitos autorais), tem sido o uso INADEQUADO de conteúdos dos venerados oradores para arrecadação de dinheiro e monetização no YouTube. Isto motivou a denúncia e a ação extrajudicial contra os canais (GRATUITOS). Pois que algumas das práticas de tais canais estariam ferindo o direito autoral.
Ora, cremos que a divulgação das ideias espíritas através das tv’s (GRATUITAS) não pode ficar condicionada à questão dos “direitos autorais”. Infelizmente esses portais têm esbarrado com a avareza dos vendilhões, que sob o jargão da suposta destinação dos lucros financeiros para obras filantrópicas, elevam a bandeira do famoso “direito autoral”, promovendo ameaças ridículas e antidoutrinárias através de intimidações extrajudiciais. (Pasmem!)
O movimento espírita transformou-se num balcão de  negócios lucrativos, onde se comercializa (vídeos de palestras na internet por assinaturas), livros doutrinários, CDs, DVDs, refletindo a compulsiva  cobiça de alguns líderes vendilhões “espíritas”. Será que tal mesquinhez alcançará os Centros Espíritas? Será que algum dia, em nome dos “direitos autorais”, os vendilhões “espíritas”  impetrarão mandados extrajudiciais proibindo exibição de vídeos das palestras dos "ban-ban-bans" e / ou  os empréstimos de livros contidos nas bibliotecas das humildes Casas Espíritas?
É urgente reconhecer que o mundo virtual tem sido admirável veículo de disseminação dos conteúdos revelados pelo mundo espiritual. Além disso, tem facilitado a democratização da apropriação do conhecimento espírita e a inserção social dos espíritas mais pobres. É inaceitável a proibição das reproduções (GRATUITAS) da mensagem espírita pela Internet para fins específicos de informações e estudos. A Terceira Revelação não pode demorar-se à mercê dos vendilhões e nem dos ridículos interesses do mundo material.
Sem ferir os princípios da ética e do respeito aos “direitos autorais”, cremos que os vendilhões “espíritas” deveriam estimular e apoiar os divulgadores dos portais (Tv’s (GRATUITAS)  e bibliotecas espíritas virtuais) para o exercício do pleno direito da divulgação gratuita dos princípios doutrinários. Até porque, inevitavelmente diversas mensagens (áudio, livros e vídeos) já foram e continuarão sendo publicados pelas redes sociais, e atualmente se encontram dispersos e disponíveis através da rede mundial de computadores, sendo inexecutável o controle jurídico desse cenário.
Em que pese existirem muitos espíritas excluídos do ambiente virtual, sobretudo aqueles mais pobres, que não possuem computador / internet, e os menos afeitos às tecnologias novas, a Doutrina dos Espíritos tem um colossal papel social e em tempo de Internet é um absurdo a exclusão dos acessos virtuais gratuitos para um enorme número de espíritas que não podem pagar inclusive para participarem dos festivos e luxuosos congressos espíritas e ou comprarem livros psicografados caríssimos.
Onde está o limite dessa exploração comercial da mensagem espírita? Cremos que o Espiritismo não assenta com interesses comerciais e a publicação das mensagens do mundo espiritual não pode ser objeto de lucro financeiro, apenas moral. Isso não faz o menor sentido, já que na espiritualidade não precisamos desse artifício do mundo material, que tanto corrompe o homem encarnado. 
Entendemos que é uma improbidade falar em direitos autorais quando se trata de uma mensagem espírita. O autor de uma mensagem espírita deveria dispensar o negócio doutrinário, pois não precisa dele. Seu objetivo (mensagens espíritas) são a elevação e a educação, fatores essenciais à nossa evolução, e não há como colocar preço nisso.
Uma instituição espírita, por mais briosa que seja, por mais filantrópica consistam em as suas atividades, seu interesse não pode sobrepor aos objetivos doutrinários da divulgação correta e honesta do Espiritismo, sobretudo através da Internet, que pode proporcionar consolação aos corações e mentes atormentados.
Sabemos que urge encontrar-se um caminho apropriado de financiamento das ações espíritas nas instituições, considerando que muitos confrades resistem em cooperar na formação de um caixa para o trabalho de difusão, mas insistimos que o equilíbrio está no meio...nem tanto ao mar nem tanto a terra. Até porque são nossos esforços de exemplificação de auto moralização, não nossa fama ou esplêndidas palavras na tribuna que auxiliarão na renovação do cenário terreno.


EDUCAÇÃO DA ALMA, ANTES E DEPOIS DA MORTE

EDUCAÇÃO DA ALMA, ANTES E DEPOIS DA MORTE.

Luiz Carlos Formiga
“A educação da alma é a alma da educação”.
São poucos os que sabem que esta educação continua na  cidade universitária alma, com professores “pós-graduados” em espiritualidade.
É através do processo de socialização que valores passam a ser entendidos e visualizados como referências importantes para o desenvolvimento da ciência e do saber.
A relação professor-aluno, na Cidade Universitária da alma, descrita pela médium Yvonne, é logo de início uma atitude de transparência.
Narra um dos calouros: - "Participou-nos, em seguida, que sua primeira aula consistiria na apresentação de sua personalidade a nós outros, seus discípulos".
A atitude do instrutor não era de mera formalidade, da apresentação da linha de pesquisa e exame de seus trabalhos publicados em revistas de renome internacional "espiritual", mas na "apresentação de sua personalidade".
Continua o discente: - "que necessário seria que o conhecêssemos intimamente, a fim de que seus exemplos nos estimulassem na senda espinhosa em que seríamos chamados a solver vultosos débitos, porquanto será sempre de boa pedagogia que o mentor apresente seus próprios exemplos aos alunos, a quem inicie, e também para que aprendêssemos a amá-lo, e nele confiar, tornando-nos seus amigos, considerando-o bastante digno de ser ouvido e acatado".
Seus orientadores de tese devem ser conhecidos na intimidade. Que seus exemplos pessoais possam ajudá-los a aumentar suas resistências à frustração, diante das dificuldades do trabalho por vezes espinhoso. Dessa forma eles aprenderão a amá-lo e a nele confiar, tornando-se seus amigos, repito – considerando-o digno de ser ouvido e acatado.
Esses alunos calouros geralmente são espíritos que carregam grandes débitos e, portanto, iniciam a vida universitária com algumas dificuldades. Cabe a pergunta, teriam eles liberdade total no campus universitário? (1)
Disciplina, disciplina, disciplina, disse Emmanuel a Chico Xavier.
Diante do exposto, seria válida a existência de um Núcleo Espírita Universitário na Instituição de Ensino Superior, aqui na Terra? (2)
Na UFRJ, década de 1990, alunos e professores através de iniciativas separadas iniciaram o estudo das obras da Codificação Espírita. Depois se uniram em torno do NEU-Fundão. Hoje o Núcleo da UERJ já ultrapassou 20 anos de existência. (3)
Certamente alguns perguntariam sobre a fronteira entre educação, proselitismo e divulgação. (4)
Por outro lado, não resta dúvidas de que 1. temos que ter uma política para a universidade e não uma universidade para a política, 2.  A educação da alma deve começar no período infantil e aos pais cabe essa tarefa. Para esse magistério superior, na universidade da paternidade/maternidade não se exige o doutorado ou curso superior, mas amor. (5)
Segurança psicológica e espiritual é a base, aqui e acolá. (6)

Leia mais
1.   Universidade da alma, cidade universitária do espírito. Anuário Histórico Espírita 2006. p. 165-183. Organização: Eduardo Carvalho Monteiro e Leandro Borba. Capivari-SP. 2005. 1º edição – dezembro/2006. Co-edição: CCDPE e Editora EME
Universidad del alma – ciudad universitaria del espíritu