PAE - UM RECANTO DE PAZ

UM REDUTO DE PAZ DE "MARIA DOLORES"

domingo, 2 de abril de 2017

Carta de despedida do Projeto Maria-Marias do PAE





"Prezados companheiros do PAE- Posto de Assistência Espírita

Durante os últimos seis anos tivemos a oportunidade de desenvolver o Projeto “Maria, Marias”, oficinas de artes manuais para mulheres e meninas, dentro das instalações dessa entidade.

Enfrentamos muitos desafios, sempre procurando nos manter fiéis ao objetivo maior de servir a Deus na figura do próximo, por meio da criação e da implantação de oficinas de artes manuais, concebidas para oferecer, além da capacitação para o trabalho digno, a conscientização e a educação voltadas para a humanização e a emancipação.

Temos a certeza de que nossos objetivos aqui foram plenamente atingidos.

Não temos palavras para agradecer a acolhida fraterna que sempre recebemos dos dirigentes e membros do PAE, apoio que foi imprescindível para a realização de nossas ações. Mas, conforme as diretrizes do planejamento estratégico que seguimos desde o início de nosso projeto, é hora de nos reestruturar, nos adequar, de nos atualizar para atender as novas necessidades e desafios que surgiram ao longo desse tempo, que para nós também foi de aprendizado. Necessidades essas que exigem a expansão do nosso alcance fraterno e a implementação de novos métodos, visando propiciar mais alternativas de geração de trabalho e renda para mulheres em situação de vulnerabilidade social. 

Encontramos em Ceilândia, junto a vocês, o espaço, a acolhida e o apoio tão necessários quando transferimos nossas atividades da cidade de Planaltina.

Tivemos a oportunidade de estreitar laços de amizade com a comunidade local e perceber que as ofertas para o tipo de auxílio que podemos oferecer suplantam a demanda.

Mas, a “corrente do bem” não pode parar! Precisamos romper os diques da nossa zona de conforto e seguir em direção às zonas de maior desconforto que se espalham, desamparadas, ao nosso redor. 

Nosso planejamento estratégico, caminha lado a lado do nosso compromisso com a Espiritualidade que nos ampara. Assim, entre sermos como um farol que tenta iluminar um caminho que já está banhado de Sol ou como uma nau que parte em busca de novos horizontes, a escolha é clara: é hora de partirmos ao encontro de locais onde a necessidade seja maior e menos assistida, onde as oportunidades sejam mais escassas e as pessoas esquecidas. Hora de plantar a boa semente em solo ainda não desbravado, onde os frutos sempre brotam com mais vigor.

Por entendermos que a caridade é o modus operandis do Espiritismo, um rio que flui entre as pessoas, e não um poço de água estagnada, sempre planejamos antes de agir. Assim, entendemos ser hora de parar, refletir, analisar e direcionar os próximos passos, antes de enfrentar um novo desafio; o que faremos, sempre, com o apoio de antigos e novos parceiros, todos, enfim, que acreditem na potencialidade do Projeto e que se dispuserem a nos ajudar a assistir aqueles que, entre nós, estejam mais necessitados.

Sempre amparados pela Fé em Deus nosso Pai e Criador, seguimos as diretrizes traçadas por Jesus na Doutrina do Amor, que tem em Deus a referência maior, mas indica o próximo como referência imediata, sem acepção de gênero, raça, latitude, confissão religiosa ou qualquer outra limitação.

Desejando muitas realizações no bem, a todos que nos acolheram e que certamente seguirão colaborando conosco em desafios futuros, reiteramos nossa gratidão à toda família do PAE, da qual somos e sempre seremos parte, ensejando, na despedida do Projeto Maria-Marias dessa Casa Espírita, que Ela siga seu Caminho de Luz, espargindo amor, orientação e consolo, mediante a divulgação e a prática da Doutrina Espírita, ampliando e fortalecendo, cada dia mais, seus compromissos e ações inspiradas pelo Mandamento Maior que nos foi dado pelo Mestre, que é “Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos”.

Com nosso carinho e agradecimento eterno.

Equipe do Maria, Marias

Brasilia, 02 de abril de 2017