PAE - UM RECANTO DE PAZ

UM REDUTO DE PAZ DE "MARIA DOLORES"

quarta-feira, 8 de março de 2017

Narrações do Infinito e outras considerações


Por Andreia Azevedo
www.MochileiraDaLeitura.com



A obra Narrações do Infinito (Do original Lúmen) não é de fácil absorção. Também não é para mentes que desacreditam da pluralidade dos mundos habitados e da infinidade de experiências que nós, como espíritos, vivenciamos no Cosmos, mas para simplesmente mentes curiosas. Camille Flammarion1, astrônomo francês e espírita, iluminou o século XIX com inúmeras obras. Fammarion escreveu Narrações do Infinito em meados de 1872. O livro pode ser considerado uma obra mediúnica do ponto de vista que o autor entrevista um espírito, amigo seu, fazendo questionamentos sobre diversas condições sobre vidas em outros planetas; e científica quando notamos informações astronômicas como, por exemplo, o tempo que as informações vinda de outros astros, levam para chegar até nós.
Quando à noite observamos as diversas esferas que pululam a abóboda celeste, na verdade não estamos vendo o momento presente que ela está vivendo, mas seu passado. Isso porque a luz dos objetos estelares demoram meses, anos, séculos, anos-luz para chegar até nós (...) - dependendo do objeto que estiver sendo observado. O livro aborda o tema durante o diálogo entre os dois personagens Lúmen e Quaerens. Vemos também diálogos sobre os tipos de vida que Lúmen pôde observar em outros planetas.

“Se um vulcão, por exemplo, entrasse em erupção em um desses mundos referidos, não o veríamos projetar suas chamas senão 1 segundo e 1/4 depois, se se tratasse da Lua; 42 minutos decorridos, se estivesse em Júpiter; 2 horas mais tarde, se viessem de Urano; 4 horas após, caso proviessem de Netuno. Se nós nos transportássemos para além do sistema planetário, as distâncias seriam incomparavelmente mais vastas e maior a demora na chegada da luz. Assim, o raio luminoso saído da estrela mais próxima da Terra, a Alfa do Centauro, despende mais de 1.400 dias para nos atingir; o que procede de Sírio emprega perto de um decênio para atravessar o abismo que nos separa desse sol.”


A obra é dividida em cinco narrativas: Resurrectio praeteriti,  Refluum temporisHomo homunculusAnteriores vitae e Ingenium audax – Natura audacior.

Alguns dos assuntos abordados nas histórias:
A Alma, A Hora da Morte, A Visão da Alma no Firmamento, O Sistema Solar no Firmamento,  A Terra do Ponto de Vista Celestial, Capella, A Velocidade da Luz, Mundos Vistos à Distância, Lúmen Revela sua Vida, Histórias do Infinito, Uma Jornada em um Raio de Luz, Organismos Humanos Adptados aos Planetas que Vivem , Luz e Espaço, A vida passada, A pluralidade das Vidas , O Desconhecido, Almas e Átomos, Um Mundo em Orion, Estudo do Universo etc

"Camille Flammarion, O Poeta dos Céus. Como o denominava Michelet. "

Flammarion como cientista, e com a mente racional, questiona sempre as informações que recebe no intuito de obter respostas mais acuradas possíveis para sua análise. É fato que nenhuma prova física temos de vida (e de sua forma) fora da Terra, mas num universo com bilhões e bilhões de galáxias contendo bilhões e bilhões de estrelas cada galáxia, sendo que cada estrela pode conter um sistema planetário, fica realmente egocêntrico imaginar um universo com vida somente no planeta Terra. E quando falamos de vida, não estamos falando de vida como nós a conhecemos, mas de qualquer tipo de manifestação de vida inteligente ou não.

“Trappist-1 -   sistema planetário na constelação de aquário”

Um exemplo das inúmeras possibilidades de existir vida são os diversos exoplanetas – planetas que estão fora do nosso sistema solar - que vem sendo descobertos, onde, muitos deles tem potencial para conter vida. Hoje, 22 de Fevereiro de 2017 a NASA nos trouxe uma descoberta pioneira. Mais questões sobre possibilidades da pluralidade dos mundos habitados... Não é de hoje que o homem se questiona sobre o Universo e se estamos ou não sozinhos. A história nos fala de ideias, pensadores, filósofos, cientistas que vislumbraram esmiuçar esses questionamentos trazendo respostas. Precisou passar milênios para aprimorar nossas pesquisas e muitos outros (séculos ou milênios) ainda deverão vir até que possamos ter a tecnologia necessária para dar o primeiro aperto de mão a um Alien. Bem... Espero que o bonzinho... ;-) A NASA revelou hoje o primeiro sistema chamado de TRAPPIST-1, contendo sete planetas orbitando uma única estrela. Três deles estão na zona habitável com chances de conter água líquida. O sistema planetário está relativamente próximo a nós (40 anos-luz) e fica na constelação de Aquário. Todos os sete planetas têm tamanho semelhante ao da Terra, entretanto a estrela que orbitam tem estágio diferente da nossa. Ela é uma anã vermelha.2


Camille Flammarion ao seu telescópio em seu observatório Juvisy - 1880.
Narrações do Infinito nos faz refletir sobre as diversas possibilidades que o universo pode nos presentear. Longe de afirmar a veracidade de todos os relatos de Lúmen referente às vidas e suas formas que ele descreve, lanço a sementinha  da curiosidade para que o leitor mergulhe na obra sem preconceitos e fazendo uso de uma mente crítica e científica, refletindo que se algumas formas de vida e composição biológica for impossível aos seus olhos,  para a vida em si, o impossível é só o início.




Referências -

1. Em uma outra oportunidade falarei de sua vida.

2. NASA. Exoplanets. https://exoplanets.nasa.gov/news/1419/nasa-telescope-reveals-largest-batch-of-earth-size-habitable-zone-planets-around-single-star/ Acessado em 22/Fev/2017