PAE - UM RECANTO DE PAZ

UM REDUTO DE PAZ DE "MARIA DOLORES"

quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Primeiro “Em Louvor a Vida” encerrou as comemorações dos 5 anos de fundação do Instituto Vida do Distrito Federal




Mais de 250 pessoas participaram, no último dia 31 de outubro, do primeiro Seminário “Em Louvor à Vida”, na Comunhão Espirita de Brasília. O evento fez parte das comemorações dos 5 anos do Vida- Instituto Espírita Bezerra de Menezes e contou com o apoio da Comunhão Espírita de Brasília e da Federação Espírita do Distrito Federal. 

O Seminário foi dividido em duas partes. Pela manhã, o Presidente do Instituto Vida, Jaime Ferreira Lopes, apresentou a Rede Renascer. Um projeto que leva voluntárias espíritas ao encontro de mulheres que pensam em abortar. Em 4 anos, 143 mulheres foram atendidas e 47% delas desistiram do aborto. “Nossa meta e fazer com que tenhamos uma voluntária em cada cidade satélite do Distrito Federal e, a longo prazo, uma voluntária em cada cidade do Brasil”, afirmou Jaime. 

Hoje, o projeto conta com 5 voluntárias para fazer todos os atendimentos do Distrito Federal. A coordenadora da Rede, Sandra Bitencourt, explicou que a capacitação de novas voluntárias vai ocorrer no ano que vem. O presidente da Federação Espírita do Distrito Federal, Paulo Maia, destacou a importância do Instituto Vida para combater o aborto. “É uma iniciativa pioneira que merece o nosso apoio”, destacou Maia. 

Ainda na primeira parte, o médico e orador espírita, conhecido internacionalmente, Alberto Almeida, explicou, de forma didática, todo o processo gestacional. Alberto se formou em medicina na Universidade Federal do Pará, atua como médico e psicoterapeuta, com experiência em homeopatia, terapia regressiva de vidas passadas e programação neurolinguística, entre outros. Ele apresentou aspectos científicos para provar que a vida começa na concepção, como esclarece os espíritos, e que o aborto é um crime em qualquer fase gestacional.

Na segunda parte do Seminário, Alberto Almeida, falou sobre as consequências do aborto para a mãe, a criança e todos os envolvidos. Sem revelar identidades, contou dramas vivenciados por ele no próprio consultório. Histórias envolvendo a capacidade de percepção do bebê ainda no útero, seja dos sentimentos maternos ou mesmo de situações externas. 


O público presente se emocionou em diversas ocasiões e várias mulheres fizeram a ficha para participar da capacitação para o trabalho da Rede Renascer. “Saímos daqui com a sensação do dever cumprido. A mensagem da vida foi passada. E nós, espíritas, temos muito trabalho a fazer. Estamos só no começo”, finalizou a vice-presidente do Instituto Vida, Renata Dourado.