PAE - UM RECANTO DE PAZ

UM REDUTO DE PAZ DE "MARIA DOLORES"

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Da influência dos Espíritos


        Relata-nos Manoel Philomeno de Miranda no livro “Amanhecer de Uma Nova Era”, (1) recebido pelo médium Divaldo Pereira Franco, o seguinte:

           (...) “Chamou-nos a atenção uma jovem portadora de grande beleza física, que exsudava energia escura de natureza pestífera defluente do pensamento atormentado e dos vícios a que se entregava.

           O médico dos pobres (2) aproximou-se-lhe conosco e pediu-nos que a observássemos mais cuidadosamente.

           Com  todo   respeito   procuramos    penetrar  nas   suas  paisagens   mentais, objetivando melhor ajudá-la, e acompanhamos as suas sofridas reflexões do momento.      

           Pudemos perceber que se tratava de uma jovem acompanhante de cavalheiros solitários, que vivia do hediondo comércio do sexo sem responsabilidade. Simultaneamente, dependia de um explorador profissional que a exauria e a quem se entregava em busca de carinho na terrível solidão que sofria...

          Naquele ambiente de paz que a atraía, quando passara de automóvel, rumando ao local de “trabalho”, sentiu-se sensibilizada pelo nome que se encontrava à porta do edifício e que sempre a intrigava: Sociedade Espírita Amor e Caridade. 

          Antes não lhe dera maior atenção, no entanto, nesse dia, em razão da angústia que a visitava, resolveu conhecer a instituição e procurar informações que, pela inspiração divina, culminaram em motivá-la a ficar, a fim de ouvir os comentários da noite e, posteriormente, poder conseguir orientação espiritual.”

          (...) “Ouvia as considerações do expositor com o pensamento no ato abortivo.

          O que nos surpreendeu foi a palavra do mentor, explicando-nos que o espírito em projeto de reencarnação era a própria genitora de volta”.

          (...)  “Trata-se de uma trama infeliz e muito complexa.
          Como, porém, ninguém se encontra a sós, ao abandono, o seu guia espiritual que se esforçava por melhor ajudá-la, no momento em que passava pelo edifício de nome  conhecido, inspirou-a a saltar e buscar socorro, o que a fez  mudar o curso das atividades naquela noite”                
                                          
           (...)   Afinal, foi a jovem atendida pelos Espíritos nobres de uma situação aflitiva, inclusive de um processo obsessivo.

            A exemplo da assistência espiritual prestada pela Sociedade Espírita Amor e Caridade pergunta-se: seria justo suspender-se uma reunião espiritual tradicionalmente programada,deixando sem    atendimento  encarnados  e  desencarnados, que nela procurassem  alívio de suas aflições, e onde comparecessem Entidades nobres com a missão de socorrê-los?

            O Espírito Lucius, aborda o assunto no livro: “Esculpindo o Próprio Destino”, (3) recebido pelo médium André Luis Ruiz, onde diz:  (...)  “Entre estes, com atividades de vigilância e ataque, estavam aqueles Espíritos dedicados ao ataque às instituições religiosas no mundo, aos seus frequentadores e dirigentes.  Aliás,   estes  Espíritos   saíam   do    abismo  antes   mesmo   do  início  das festividades, com  a  missão de preparar o terreno favorável, incutindo nas mentes dos líderes  religiosos  imprevidentes  que,  possuindo direito de descanso, era mais que justo que fechassem as casas de oração e se entregassem ao desfrute de alguns dias de folga junto ao mar, na montanha, no interior ou mesmo em casa, ficando todo esse tempo sem maiores compromissos com o bem.

            Tais entidades eram tão eficientes no que faziam que, todos os anos, ao redor de oitenta por cento  das instituições espíritas, que correspondiam à maior ameaça às forças trevosas, fechavam suas atividades no período carnavalesco sob os mais esdrúxulos argumentos.

            A intuição negativa era tão bem acolhida por aqueles que a ela deveriam estar atentos no rechaço de suas investidas, que os Espíritos nobres, empenhados na organização de frentes de trabalho para o acolhimento de entidades infelizes, viam seus esforços comprometidos pela deserção inoportuna de muitas instituições benemerentes  e  de trabalhadores invigilantes, que se julgavam no direito de descansar,  como  se  já  não  tivessem  descansado  por  tantos  e tantos  séculos, na inércia e no descaso para com a transformação de si mesmos através da prática do bem”. 

              (...) A propósito nos adverte Allan Kardec: (4) “Os espíritos influenciam em nossos pensamentos e atos muito mais do que imaginamos. Influenciam a tal ponto, que, de ordinário, são eles que nos dirigem”

             Assim, seria prudente que líderes e trabalhadores Espíritas se deixassem influenciar, dirigir pelos Espíritos nobres, no sentido de empenhar-se na organização de frentes de trabalho para o acolhimento de criaturas infelizes, hoje, sempre!..
          
Fontes:                                                                                               
(1) - Pags. 51, 52, 54 e 55
(2) - Bezerra de Menezes
(3) - Pag, 171
(4) - L.E – Per. 459                                                                

Domingos Cocco
domingoscocco1931@yahoo. com.br 
Cachoeiro de Itapemirim, ES, 25 de fevereiro de 2014.
Rua Neca Bongosto nº 06 - Bairro Sumaré
Telefone: (28) – 3522-4053 – CEP 29304-590
Cachoeio de Itapemirim – Estado do Espírito Santo