PAE - UM RECANTO DE PAZ

UM REDUTO DE PAZ DE "MARIA DOLORES"

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

A lógica e a Razão Suplantam o Espirito


José Sola


Entendemos que a lógica e razão suplantam o espirito, pois verificamos que a vida manifestação de Deus no universo nos apresenta essa lógica e essa racionalidade a manifestarem-se ininterruptas nos infinitos fenômenos que apreciamos no universo.

Está realidade podemos apreciar de maneira transparente, pois para auscultarmos um fenômeno qualquer que se manifesta na vida, necessitamos elaborar fórmulas teoremas, ou equações, que nos permitam entender as causas que antecedem o mesmo.

Para elaborar uma fórmula necessitamos aplicar nossa inteligência, nossa lógica, e nossa racionalidade, e o mais maravilhoso é que este principio de lei inteligente, lógica e racional, exige que maturemos nosso potencial, para que nos seja possivel apresentar equivalência ao fenômeno, pois do contrario faltar-nos-á condições inteligentes, lógicas e racionais, para que façamos essa apreciação. 

Esta realidade nos leva a concluir de que existe uma inteligência primaria, uma lógica e uma racionalidade a manifestarem-se soberanas na vida do universo, estes são atributos de Deus que sustentam o equilíbrio, a ordem, e a harmonia, que predomina na evolução de todos os elementos constituintes da vida no universo. 

Se nossos amigos da ciência parassem para analisar a vida, observando-a por outro prisma, como livres pensadores como devem ser se aperceberiam de que um principio de casualidade, seria incapaz de desenvolver um fenômeno inteligente, fenômeno este que possui uma causa que o antecede, causa esta que lhe propicia a desenvoltura, e a repetição infinita no contexto sublime da vida.

Verificamos no campo do macro o nascimento das galáxias, dos sois, e dos planetas, no campo do micro apreciamos as mutações dos átomos em suas infinitas modalidades de ser, estes átomos formam as células e as moléculas, estas formam os corpos gasosos, ou sólidos, tudo isto acontece regidos por uma lógica e racionalidade inconfundível.

Mais os animais possuem um protótipo especifico cada elemento em seu espécime, nasce regido por uma genética especial, que se repete por bilenios, até o momento em que através do mecanismo da evolução, este modifica sua forma física. 

E quando a centelha divina atinge a condição de espirito (homem), o protótipo de nascimento do mesmo é único, a forma física de ser humano constituinte do mesmo se repete diferenciados apenas pelos traços, ou pela cor, somados pela genética. 

E estes protótipos , seja das plantas, sejam dos animais, ou dos homens se repetem por bilenios sem conta, permitindo-nos verificar lhes as causas; como pode uma casualidade repetir-se por períodos tão longos? No meu entender a casualidade aconteceria uma única vez, para nunca mais se repetir.

Aperceber-se-iam de que uma casualidade, não apresentaria um principio de lei determinante, que nos possibilita-se ausculta-lo, pois este seria vazio, desordenado, não ofereceria campo inteligente e racional para que aplicássemos nossa inteligência e nossa razão. 

O que fica transparente nesta observação que apresentamos, é de que os nossos amigos da ciência, nem sempre tem feito uso da lógica e da racionalidade, pois eu não me demoro apresentando um axioma apresento fatos que se permitem auscultar, apresento uma lógica de que não é preciso muito esforço para compreende-la. 

Temos recebido de nossos amigos da ciência, algumas informações em que chamam de colapso um fenômeno, como por exemplo, a existência de um buraco negro, entretanto nós já vimos de que não existem colapsos, esses aparentes colapsos seriam uma anomalia, um desarranjo a manifestar-se em um sistema em que tudo é ordem, é harmonia, é equilíbrio, e este colapso levaria esse sistema infinito, a pulverização. 

Já vimos de que nascem e morrem mundos e sois buracos negros, e outros infinitos fenômenos materiais depois de haverem cumprido sua finalidade na vida, entretanto a harmonia de conjunto do universo permanece inalterável.

Os aparentes colapsos não passam de momentos em que esta acontecendo à mutação de matéria para energia, estes aparentes colapsos estão contidos no contexto da vida no universo, fazem parte integrante do mecanismo da evolução.

Verificando está lógica e está racionalidade, interagindo ininterruptas na vida do universo, propiciando aconteça a harmonia, a ordem, e o equilíbrio do mesmo, somos levados a concluir de que estes são atributos de Deus a manifestarem-se na vida do cosmo.

E importa lembrar ainda de que esta lógica e esta racionalidade não se manifesta apenas no campo do macro, mas ainda e também no campo do micro, pois já sabemos com razão de sobejo que elementos atomísticos com cargas iguais se repelem, com cargas diferentes se atraem, de que quando desmontados os átomos através de uma explosão, como por exemplo, a explosão atômica, a tendência é se reagruparem.

E verificamos ainda de que existe um principio inteligente, lógico e racional, que se manifesta como causa, propiciando o acontecimento desses princípios que os atrai e que os repele, que lhes desenvolve uma vontade, e se esta causa é constante e invariável, e se esta vontade é determinante, não temos como negar uma inteligência, uma lógica, e uma racionalidade existentes.

É evidente de que esta inteligência, esta lógica, e esta racionalidade é manifestação de Deus, pois é Ele a vida absoluta do universo. 

E como já sabemos que Deus manifesta sua vida no absoluto, e de que nós somos vidas manifestas dessa Vida, e estamos também informados de que herdamos do Eterno os infinitos atributos com que Ele manifesta a vida no universo, estes atributos os trazemos no amago de nosso “Ser”, ou seja, em nosso inconsciente puro, como um eterno vir a ser.

Cientes como somos, de que trazemos em potenciação os atributos do Eterno, e que esses atributos se manifestam a partir da maturação da substância que é o plasma divino do Criador iniciando sua caminhada rumo à individualidade através da evolução anímica, compreendemos de que a partir de então, iniciamos a elaboração de um parâmetro de aferição que nos permitirá aferir nosso comportamento perante a lógica e a racionalidade absoluta da vida.

Trazemos à inteligência, o amor, a insaciabilidade, a lógica, a racionalidade, e infinitos outros atributos que nos escapa a concepção, em potenciação no núcleo da alma, como um eterno vir a ser.

Por trazermos os atributos da lógica e da razão no núcleo de nossa alma em potenciação, no processo de maturação em que nos demoramos através da evolução anímica, a centelha divina estará desenvolvendo esses parâmetros, propiciando-nos condições mais apropriadas para que possamos aferir os demais fenômenos que nos redeiam. 

Esses potenciais insuflados pelos atributos de Deus vão se maturando, se exteriorizando, e quanto mais se maturaram melhor assimilam essas manifestações de Deus na vida.

Isto nos mostra de que a lógica e a razão, manifestas de Deus no universo é que acordam essas potenciações em nosso ser, permitindo-nos auscultar as causas lógicas e racionais que antecedem a qualquer fenômeno da vida no universo.

A inteligência e o amor do Eterno a manifestarem se generalizados na vida, não são absolvidos por nós de forma definitiva, esses atributos divinos nos insuflam a alma, maturando as nossas potenciações infinitas, e como já possuímos os mesmos em absoluto em nosso inconsciente puro, maturamos esses potenciais.

Não nos esquecendo de que somos envolvidos pelos atributos de Deus de forma ininterrupta, e são esses atributos do Eterno que provocam a maturação constante de nossos potenciais, conduzindo-nos a evolução na eternidade.

Assim como não podemos dar inteligência e amor a ninguém de forma definitiva, pois sabemos que o amor o herdamos de Deus como um atributo divino, pois Ele é a fonte absoluta de amor na vida, tampouco podemos dar a inteligência, a lógica, a razão, ou qualquer outro dos infinitos atributos que recebemos do Eterno. 

Então verificamos de que a lógica e a razão existem em nosso inconsciente puro, ou no amago de nossa alma, e que os mesmos se maturam insuflados pela consciência cósmica do universo, que como visto estão presentes em todos os fenômenos do mesmo, não nos esquecendo de que nós somos um desses infinitos fenômenos, o maior fenômeno da vida; pois nós existimos em Deus. 

Este conceito que vimos desenvolvendo, nos demonstra com precisão de que a lógica e a razão como atributos eternos de Deus no universo, é que trabalha o espirito eterno, no desenvolvimento dessas potenciações; o que deixa claro que a lógica e a razão preexistem aos espíritos, e os encaminha em sua maturação na eternidade. 

E por sermos deuses como nos disse Jesus, trazemos em potenciação no núcleo de nossa alma os infinitos atributos que herdamos de Deus na vida, dentre estes a lógica e a racionalidade, entretanto importa lembrar, de que esses como os demais, só se manifestam como um eu diretor do “Ser” a partir do momento em que a centelha divina conquista a sua individualidade, e isto só acontece a partir do reino animal.

No reino mineral, tanto quanto no reino vegetal, embora a centelha divina já haja iniciado sua romagem em busca da individualidade, esta ainda não aconteceu, pois quebramos uma pedra de imã, e não dividimos apenas o elemento matéria, mas também o elemento psíquico, pois ao aproximarmos estas metades, verificamos que as polaridades iguais se repelem, as diferentes se atraem.

E quanto às plantas arrancamos um galho de uma planta, o replantamos e esta vai se transformar em outra planta, (clone) isto quer dizer de que a parte psíquica da planta foi retirada junto com o galho, pois se houvéssemos retirado apenas o elemento matéria, esta muda morreria faltar-lhe ia o elemento vital da vida. 

Entretanto no reino animal, atingimos a nossa individualidade, o espirito é indivisível, e a partir de então passamos a manifestar as potenciações infinitas que trazemos em estado latente no núcleo da alma. 

Provavelmente me direis, mas os animais não manifestam ainda à lógica e a razão; como não?

Fomos informados pelo amigo Paulo Neto em palestra através de um vídeo, de que um cão foi atropelado em uma via expressa e ali se demorava ferido. Outro cão, desviando-se dos carros, pegou o companheiro de raça pela nuca, o retirou levando-o para o acostamento; este animal não aplicou a inteligência, a lógica e a razão, ao realizar este salvamento?

A nossa lógica e a nossa racionalidade, nos dizem que sim. Ao praticar este salvamento este cãozinho viveu a iniciativa, pois ninguém lhe ordenou que o fizesse, viveu a lógica, pois não se atirou de maneira desordenada ao salvamento, tanto quanto a racionalidade, pois se desviou dos carros, e entendeu de que no acostamento o irmão de raça, estaria fora de perigo.

Então podemos afirmar de que é no reino animal que o “Ser” principia a ter domínio sobre a lógica e a racionalidade, tanto quanto sobre os infinitos atributos que herdamos do Criador. Entretanto isto não quer dizer que a partir de então, independemos da lógica e da razão do Eterno, pois como retro informados, são os atributos de Deus que nos imantam a vida, propiciando a maturação dos mesmos, e isto na eternidade.

E é esta lógica e esta racionalidade, que se maturando desenvolvem no espirito a consciência, campo de manifestação da psique, em que o “eu” inteligente atua, imanando através do inconsciente puro as potenciações infinitas que trazemos como potenciação absoluta herdada de Deus na vida.

Já vimos em o texto As Causas da Premonição e outros, de que a psique é uma só, entretanto, ao passar pelo processo de maturação, lhe atribuímos outros nomes, inconscientes, atual, passado, e consciente que é o campo em que o inconsciente puro é trabalhado. 

Sendo ainda e também o consciente campo receptivo pelo qual somos insuflados pelos atributos do Eterno ininterruptamente ativando constantemente a nossa evolução, tanto quanto e também campo receptivo de conhecimentos e informações provindas de outras fontes, (mentes).

Estamos verificando através deste texto, que embora tragamos a lógica e a razão em potenciação no núcleo da alma, estas potenciações, para maturar-se o suficiente para ser ordenada pelo espirito, se demorou por bilenios em latência, sendo trabalhada pela Consciência cósmica do universo, e pelo já informado, não iremos nos desvencilhar jamais da fonte da vida do universo que é Deus.

E isto nos leva a concluir de que a lógica e a razão suplantam o espirito, isto é, o espirito se submete a esta lógica e a esta razão, pois conforme apreciamos estas são um atributo de Deus na vida, é um designo do Eterno a manifestar-se no universo nas infinitas manifestações de vida do mesmo.

E Allan Kardec compreendeu esta realidade com tanta clareza, a ponto de apresentar-nos estas palavras: Tudo o que ouvirdes dos homens ou dos espíritos, submetei-o ao crivo da lógica e da razão aceitando para vós, o que vossa consciência permite. 

Com isto nosso mestre Lionês nos esteve informando de que não importa a condição do espirito, mesmo sendo um espirito superior, para aceitarmos o que este nos diga devemos submeter suas palavras ao crivo da lógica e da racionalidade, pois estás estão acima de qualquer espirito por mais evoluído seja este. 

É lógico de que, depois de havermos confirmado a idoneidade de um espirito, em que este haja se apresentado em muitas oportunidades, e em todas elas apresentou lógica, racionalidade, e bom senso, não temos por que nos demorar preocupados com mistificações, entretanto necessitamos estar atentos no intento de apreender e não poderemos apreender se não nos utilizarmos da lógica e da razão.

Quando comecei a estudar o espiritismo, meu instrutor me disse de que o espiritismo encerra uma lógica e uma racionalidade de que nem mesmo se Jesus viesse ao mundo afirmando em contrario, daria para acredita-Lo, lógico que isto era uma metáfora que na época não entendi muito bem, me parecia absurdo mesmo.

Hoje depois de haver maturado mais meus conhecimentos, embora sejam ainda parcos, entendi de que meu instrutor inesquecível me estava procurando esclarecer de que qualquer espirito, não importa qual seja a sua evolução esta submetido à logica e a racionalidade, conforme retro explicitado.

Mas infelizmente alguns confrades espiritas não tem feito uso desses parâmetros, que são de suma importância na apreciação e no desenvolvimento do espiritismo, tanto é assim que tentaram reescrever “O Evangelho Segundo o Espiritismo” por acreditarem que modificando a literatura estariam oferecendo melhores condições aos leitores; será? 

Não fosse a intervenção firme e corajosa do professor Herculano Pires, que pediu mesmo a manifestação de Chico Xavier que se detinha calado, e esta obra teria sido adulterada, e isto porque alguns pseudos sábios entenderam de que esta obra como as demais da codificação, se demorem na obliquidade literária de uma sociedade, ou de um povo.

Não compreenderam os nossos doutos em espiritismo de que não importa a literatura que nos demoremos vivendo de momento, o espiritismo não o vamos compreender enquanto nos demoremos atidos à letra, torna-se necessário penetrarmos a essência, pois o espiritismo é uma religião universal que trata de todas as questões que fundamentam a vida do universo.

Importa lembrarmos de que nós não temos a evolução requerida para reescrever qualquer uma das obras básicas de Allan Kardec sem adulterá-las, e disto nos apercebemos nas extrapolações apresentadas por nossos confrades, pois em algumas questões de o “Livro dos Espíritos” as extrapolações apresentadas, chegam a ser ingênuas mesmo. 

É-nos permissível, extrapola-lo ao infinito, pois o mesmo encerra em síntese, questionamentos que nos esclarecem os porquês da vida, entretanto atentos ao seu postulado doutrinário, pois este postulado é um questionamento que Kardec apresenta ao Espirito da Verdade, e nas respostas oferecidas pelo mesmo encontramos um campo infinito para a extrapolação. 

E ainda as mensagens apresentadas pelos espíritos nos mais variados pontos do planeta, mensagens estas que Kardec passou pelo crivo da lógica e da razão, corroborando as que fazem parte do postulado espirita.

Tentar delimitar um edifício monumental, infinito e eterno, como o é o espiritismo, a letra literária, é assinar um atestado de que não compreendemos ainda nada da filosofia sublime que estudamos, pois vai acontecer um momento em nossa evolução na eternidade, em que o estaremos estudando e apresentando através do pensamento, e o idioma universal que utilizaremos será o do amor, e da afinidade. 

Temos tentado unificar o idioma da humanidade através do esperanto, utilizando-nos desse meio de comunicação, esperávamos unir os povos da Terra, e eu entendo que a intenção é divina, mas com certeza não resolverá o problema intricado do desentendimento entre as nações, pois verificamos que os povos de uma mesma sociedade, se digladiam entre si, não devemos nos esquecer de que o único meio de comunicação universal é o amor. 

Alguns confrades nos dizem de que cada um de nós tem uma lógica, entretanto isto não concerne com a realidade, pois a lógica é única, absoluta, é um atributo de Deus na vida do universo, e conforme já explicitamos, nós herdamos os atributos do Eterno em absoluto, embora estes se manifestem no relativo, e se maturem através dos bilenios sem conta na eternidade da vida.

O que nos sucede é que cada um de nós, no momento evolutivo em que nos demoramos, vivemos uma opinião, opinião esta que nós entendemos seja a verdade absoluta e a apresentamos como lógica, entretanto em algumas oportunidades esta não se sustenta perante a realidade da vida, pois como já explicitamos o contexto da vida do universo, encerra em seu mecanismo evolutivo uma lógica absoluta.

E após havermos maturado nossa lógica e nossa razão, o suficiente para nos apercebermos, ainda que de forma elementar, da lógica e da racionalidade manifesta na vida, começamos a discernir o que seja lógica e o que seja apenas uma opinião, pois começamos a verificar de que nossas opiniões não respondem aos fatos, e em algumas oportunidades são absurdas mesmo.

E para corroborar o que informo, lembro o dogma do inferno eterno sustentado pelas religiões ortodoxas, este dogma não passa de uma opinião de alguns pais da igreja que foram aceitos como verdades absolutas, indiscutíveis, e que continua sendo sustentado como uma verdade eterna e “irrefutável”.

É evidente de que não estaremos atingindo a lógica e a racionalidade absolutas jamais, pois estas são um atributo que herdamos de Deus na vida, e como a nossa evolução acontecerá na eternidade, nos demoraremos num relativo eterno, absoluto é só Deus estaremos desenvolvendo nossa lógica e nossa racionalidade na eternidade, assim como sucederá aos infinitos atributos que herdamos do Eterno.

Mas que estejamos nos utilizando desses parâmetros de aferição na apreciação de um fenômeno qualquer que se manifeste de Deus na vida, não nos esquecendo de que nós somos o fenômeno dos fenômenos do universo, conheçamo-nos a nós mesmos, não nos esquecendo de que trazemos em potenciação a resposta para todos os porquês da vida, pois trazemos em absoluto em nosso inconsciente puro, as experienciações e as vivenciações que desenvolveremos na eternidade como um eterno vir a ser.