PAE - UM RECANTO DE PAZ

UM REDUTO DE PAZ DE "MARIA DOLORES"

domingo, 15 de novembro de 2015

Parábola do Fariseu e do Publicano (Lucas, 18:09-14)

Arnaldo Rocha

Esta parábola Jesus contou
Aos que só em si confiavam,
Desprezando outras pessoas,
Porque justos se achavam:

- Dois homens foram ao templo
Desejando orar para Deus;
Um deles era Publicano
E o outro, membro dos Fariseus.

O Fariseu, orando em pé,
A si mesmo exaltou:
- Meu Deus, graças vos rendo
Porque igual aos outros eu não sou...

E continuou a falar,
Como se fosse um insano,
Que a ele não se comparava
Nem mesmo aquele Publicano,

E que os outros homens
Eram ladrões, adúlteros e injustos;
Dando claramente a entender
Que ele fazia parte dos justos.

E seguiu a dizer, assim:
- Duas vezes por semana eu jejuo,
E pago o dízimo de tudo
O quanto eu possuo.

O Publicano, ao contrário,
Mantendo-se distante,
Não ousava erguer os olhos
Aos céus, naquele instante,

Apenas batia no peito
E clamava com ardor:
- Meu Deus, tende piedade de mim,
Que sou um reles pecador...

- Digo-vos -acrescentou Jesus -
Que este, enfim, retornou
Para os seus justificado,
E não aquele que se exaltou;

Porque aquele que se exalta
Será, afinal, humilhado,
E aquele que se humilha
Será, por fim, exaltado.