PAE - UM RECANTO DE PAZ

UM REDUTO DE PAZ DE "MARIA DOLORES"

quarta-feira, 15 de julho de 2015

As infinitas propriedades do átomo

Jose Sola


Embora a física já compreenda de que existe matéria em outra dimensão, pois os cientistas mensuraram alguns destes corpúsculos atômicos, os mesmos nos informam que o peso específico do próton é 1,66x10-24 gramas e 5x10-15 centímetro de diâmetro, e dimensionaram ainda o nêutron, o elétron, o neutrino, como retro informado. E embora não o hajam dimensionado ainda, nos informam que o quark é a menor partícula da matéria. 

Em relação ao tamanho o peso do próton é enorme. Se enchêssemos de prótons um espaço das dimensões de um cubo de um centímetro, este pedacinho pesaria 24000 milhões de quilos. O próton é o material mais denso que conhecemos.

Antecipando-se a ciência Kardec já no ano de 1857, nos informou a existência de matéria em outra dimensão, em o “Livro dos Espíritos”, questão 22, vejamos.

Mas a matéria existe em estados que ignorais. Pode ser, por exemplo, tão etérea e sutil, que nenhuma impressão vos cause aos sentidos. Contudo, é sempre matéria, para vós, porém, não o seria.

Como informado, hoje os cientistas já compreendem que existe matéria em outra dimensão, entretanto, longe se demora ainda a ciência de compreender a manifestação desta no contexto da vida do universo.

Não compreenderam ainda de que o universo espaço-tempo, (infinito) não é uma abstração, é composto de partículas infinitesimais, pois como já vimos se fosse uma abstração, não aconteceriam os buracos negros.

E tampouco entendem que seja uma energia, pois a energia é também uma propriedade do átomo. Entretanto fosse o universo espaço-tempo constituído de energia, e não aconteceria o rompimento do mesmo, pois a energia em sua propriedade se expande não se rompe.

E embora a física nos informe e com muita propriedade de que o átomo é suscetível de ser divido ao infinito, entretanto não se aperceberam de que estas infinitas partículas atomísticas possuem propriedades individuais e sejam capazes de reproduzir a matéria em outra dimensão.

Eu informo reproduzir, pois existem elementos em outras dimensões que são reproduzidos com similitude perfeita aos existentes na terra. Entretanto nós já sabemos de que todos os corpos, ou outros elementos materiais da Terra, são constituídos com átomos inteiros.

Apreendemos em física de que qualquer corpo de matéria solida, liquida, ou gasosa, é formada por átomos inteiros, a partir do hidrogênio que é o primeiro elemento de peso atômico denominado o pai da matéria, até o uranio que é o ultimo átomo natural, pois temos alguns átomos sintéticos.

Nos textos anteriores nós informamos de que as plantas que embelezam e que dão vida aos habitats nos mundos cuja concepção evolutiva nos foge mesmo a imaginação, são constituídas de matéria em outra dimensão.

E de que essas plantas não podem ser as que temos em nossa reserva vegetal aqui na terra, pois a planta é um momento evolutivo da centelha divina, conforme Kardec, e nós já sabemos que depois de alguns milênios, este psiquismo vai dar curso a sua evolução, ingressando no reino animal.

Então a logica nos leva a concluir de que se o psiquismo da planta que estará evoluindo do vegetal para o animal, se detivesse a embelezar e a dar vida a esses mundos, a evolução anímica não existiria, pois essas plantas vão evoluir ao infinito na eternidade.

Entretanto mais uma vez nosso amigo André Luiz nos apresentou uma revelação, informando-nos de que nós somos deuses, quando em o livro “Obreiros da Vida Eterna” no capitulo, O Sublime Visitante, nos fala de que o amigo espiritual Cornélio plasmou o tronco de uma grande árvore. E André Luiz e os demais estariam plasmando as folhagens da mesma, o gramado, o lago que a circundava, tanto quanto e também o horizonte azul, e que a seguir deram vida a essa materialização idioplástica.

E nesta informação somos esclarecidos de que nós podemos co-criar também no campo energético, pois no campo físico nós já co-criamos, embora ainda não hajamos atentado para esta realidade, mas todas as vezes que concebemos um filho, - e a mulher não o concebe sozinha - estamos co-criando, e muitas vezes as revelias de nossa vontade.

As plantas nos mundos mais elevados são a resultante de um pensamento (idioplastia mental), em que um Avatar divino idealiza a mesma, essa energia mental é insuflada por um psiquismo, psiquismo este que é generalizado, ou seja, é o fluido de Deus a manifestar-se na vida do universo.

Esse psiquismo é revestido de um corpo energético, e a seguir agrupam se ao mesmo, as partículas atomísticas, que atendam as condições dessa planta, no momento evolutivo em que este mundo se demore. Pois quanto mais evoluído for o mundo, mais diáfana, mais sutil, deverá ser essa partícula de matéria, não nos esquecendo de que todo esse processo é idealizado pelo espirito.

Não nos demoraremos a explicitar a formação dos mundos e sóis, de colônias espirituais, e tampouco a da Terra, pois já o fizemos em textos anteriores, e tornar-se-ia redundante.

Mas nos mundos mais elevados, tanto quanto em colônias espirituais, não existem apenas as plantas que embelezam e dão vida a esses mundos, temos a água, e para um maior esclarecimento, estaremos uma vez mais, a nos amparar nas informações de André Luiz vejamos. 

Em o livro “Nosso Lar”, no capitulo O Bosque das Aguas, Lísias esclarece André Luiz quanto à importância da agua na colônia, informando-o ainda de que a mesma era uma das raras tarefas materiais realizadas pelo Ministério da União Divina. Não estarei a transcrever este capitulo, pois é longo, mas recomendo aos que lerem meu texto, e desejarem maiores esclarecimentos que o leiam, pois é infinitamente instrutivo.

E pelo que pudemos apreciar nas palavras de Lísias a água é tida como matéria na colônia de Nosso Lar, pois o mesmo é muito explicito quando afirma a André, que a manutenção da água é uma das raras tarefas materiais. 

Nós apreendemos em química de que a composição de uma molécula de agua é composta por H2O, ou seja, por dois átomos de hidrogênio e um átomo de oxigênio.

Estes átomos são átomos inteiros que conforme retro informado pertencem a escala de peso atômico do hidrogênio ao uranio, átomos estes, que formam toda a matéria solida, liquida, e gasosa que constitui nosso planeta.

Lembramos ainda de que a água da colônia Nosso Lar, não tem a mesma constituição da água da Terra, pois é composta de partículas atômicas que por hora não podemos mensura-las, alias a física nem aceita ainda esta possibilidade.

E esta concepção é corroborada pelo que nos informa André Luiz em o livro “Obreiros da Vida Eterna” no capitulo O Sublime Visitante. A água existente nessa colônia é elaborada por mentes de Avatares divinos; a água tanto quanto tudo o mais que compõe a mesma, existe em matéria em outra dimensão. 

Embora a física nos haja apresentado valores extraordinários, valor este que nos permite estudar o universo em suas infinitas manifestações, ainda não compreendeu as infinitas propriedades do átomo, e isto pelo fato de não aceitarem ainda a vida a manifestar-se em outras dimensões vibracionais.

E o mais interessante é que esta temática cientifica nos informa de que o átomo é suscetível de ser dividido ao infinito, e em algumas oportunidades nos falam de dimensões diferenciadas, mas infelizmente não encontraram ainda o elo entre as infinitas dimensões diferenciadas de ser da matéria. 

E isto porque delimitam a vida ao mensurável e embora aceitem a matéria existindo em condições microscópicas ao infinito, não entenderam ainda que a mesma possa oferecer mundos de dimensões que nos escapam a percepção, habitats em que espíritos sublimados habitem.

Infelizmente para uma grande maioria de cientistas, morreu o corpo físico e tudo se acabou; será?

Nós sabemos que o principio inteligente sobrevive aos “escombros” da matéria, e que a matéria tampouco morre apenas se desintegra, se decompõe, e que os elementos atômicos que compunham esses corpos, vão formar outros corpos. O universo é um eterno vir a ser, nada morre tudo se modifica e se transforma. 

Entretanto a mente humana começa a ter alguns vislumbres a respeito das diferentes dimensões vibracionais, e embora ainda esta possibilidade passe para muitos como uma ficção cientifica, mas já começam a sonhar com a mesma. 

Entretanto a forma de apreciação da mesma é equivocada, pois acreditam que encontraremos portais no espaço, buracos de passagem, etc., mas a passagem de uma dimensão vibracional para a outra só acontece através do processo evolutivo. 

Embora já hajamos visto de que o homem na terra coexiste em três momentos dimensionais diferenciados espirito, corpo energético e matéria, mas essas transposições dimensionais são apenas físicas, pois a mudança dimensional no que concerne a mente do espirito, só acontece com a maturação de nossas potenciações, ou seja, a evolução.

Então somos levados a deduzir - pois a lógica a este raciocínio a isso nos conduz - de que a matéria nas proporções de milímetros, micrômetros, manômetros, ou outras de dimensões infinitesimais menores, conservem na eternidade essas propriedades.

E isto nos permite raciocinar o fato de que o átomo não é apenas uma composição do elemento matéria, pois embora sofra as mutações ao infinito, passando pelo processo de miniaturização, conserva as propriedades infinitas, que lhe permite reproduzir a vida na evolução em que esta se demora na eternidade.

O átomo é um micro universo, que encerra em si potencialidades infinitas, potencialidades estas que encerram o eterno vir a ser do Universo. "Os extremos se tocam; a grande respiração do Universo é dada pela respiração do átomo".

Então somos levados a compreender de que o átomo em sua constituição não é composto apenas pelo elemento matéria-energia, mas que o elemento matéria-energia, reveste um psiquismo, e que é esse psiquismo que guarda as infinitas propriedades do átomo, tanto quanto lhe permite a evolução ao infinito, independente das configurações físicas em que este se demore.

Sem esse psiquismo o átomo não sofreria suas mutações, tampouco aconteceria o principio de afinidade entre eles, pois a matéria denominada inerte, não possuiria a força de atração e repulsão, seria um elemento neutro a tudo, não ofereceria campo vibracional, nem mesmo para se agrupar formando as células, e moléculas, que se aglutinam ao corpo energético (períspirito), possibilitando a vida material aconteça na condição de corpos materiais sólidos, ou corpos orgânicos. 

Então somos levados a crer que é esse psiquismo do átomo, maturado junto com o corpo energético, e a matéria, conduzido pelo principio inteligente que é a centelha divina que quando ingressa no reino mineral, em busca da individualidade, que encerra essas propriedades infinitas, permitindo-lhe reproduzir, as plantas, a água, enfim todas as modalidades de vida que existam nas colônias ou nos mundos em outra dimensão, inclusive os mesmos. 

Apreendemos em física de que os átomos se mantem em um movimento constante, os elétrons orbitando em torno dos núcleos, e isto não acontece apenas com os átomos livres, mas também com os átomos que se demoram formando corpos de matéria sólidos; se os elementos que formam a matéria, se demoram vivendo uma força que os movimenta, pode a mesma ser neutra? Em outras palavras, estas forças que propiciam o movimento dos átomos, não são uma modalidade de vida inteligente?

Sabemos que o elétron gira em torno do núcleo do átomo, por ser este carregado de carga elétrica negativa, enquanto que os prótons são corpúsculos atomísticos de carga elétrica positiva, e já sabemos que cargas de sinais iguais se repelem, cargas de sinais diferentes se atraem.

Somos informados ainda pela física de que no núcleo do átomo de hidrogênio temos um próton, não existe nenhum neutro, - exceto se o átomo de hidrogênio for um isótopo, então temos um neutro - entretanto, no núcleo de um átomo de hélio, por possuir dois prótons, possui também dois neutros, pois sem esses neutros o átomo se desmonta por possuir dois corpúsculos de carga elétrica iguais.

Como vemos o elemento que forma a matéria, encerra em sua constituição forças que lhes permite atraírem-se e repelirem-se, e eu não posso compreender que a matéria sendo formada por esses elementos, seja destituída de vida, lógico quando digo vida, não desejo compara-la a vida animal, ou humana, mas a um principio inteligente; dá para negar esta possibilidade? Não será esta distinção de forças um principio inteligente a reger a matéria?

Não dá para entender que um elemento que possui em sua constituição algumas forças que já conhecemos, e com certeza infinita, outras que ignoramos, pois como estamos a ver as propriedades do átomo vão ao infinito, que ao agruparem-se formando a matéria, esta esteja destituída de vida.

E procurando corroborar o que informo, lembro de que Deus é a vida do universo, e Ele imanta o mesmo com seu Fluido Universal, não existe qualquer elemento no universo que se demore destituído dessa essência divina, para acreditarmos que a matéria estivesse destituída dessa vida, teríamos que imagina-la impenetrável a esse fluido, sendo que a mesma é parte integrante da substância, e os elementos que a constituem (os átomos) possuem um psiquismo e manifestam uma força.

Então verificamos que o átomo se matura por ter uma constituição psíquica e material, o que propicia ao átomo maturar-se é o psiquismo, principio inteligente, que assimila as experienciações e vivenciações, do mesmo e, a matéria evolui impulsionada por esse mesmo psiquismo que responde por afinidade ao psíquico da Terra.

Importa lembrar, contudo que em suas propriedades infinitas, o átomo reproduz as plantas, a água, os corpos físicos, tanto quanto, corpos de matéria como é a Terra, mas numa outra dimensão, e a densidade desses elementos é sempre mais tênue na proporção evolutiva em que estes mundos se demorem.

As plantas, a água, os corpos físicos, tanto quanto, o mundo que serve de habitat para espíritos evoluídos que o habitam, preexistem numa condição de matéria rarefeita, nenhum desses elementos serão reproduzidos nas mesmas condições físicas, tais quais as que possuíam na Terra, pois em sua maturação o átomo passa a elaborar matéria em outra dimensão. 

Modificadas as necessidades do espirito devido a evolução conquistada, o mesmo requer habitats e aparatos que respondam a sua necessidade evolutiva, e como a evolução acontecerá na eternidade, é natural que necessitemos de corpos, habitats, e universos em outras dimensões, pois nossos corpos espirituais, também estarão vivendo uma dimensão diferenciada.

Então somos levados a crer que os mundos, as plantas, a água, e outros infinitos aparatos, embora guardem uma similitude com os da Terra, esta similitude acontece apenas nas características, entretanto a essência é infinitamente mais sutil, mais diáfana, atendendo as necessidades do espirito no momento evolutivo em que este se demore.

As informações que apresento, o faço no sentido de esclarecer de que matéria em outra dimensão, não propicia ao espirito, as mesmas sensações que nos propiciam hoje, pois o corpo não será mais de carne e ossos, as plantas e a água, dentre outros elementos, atenderão a necessidades outras do espirito. 

Apresentarei um exemplo rudimentar, mas que acredito nos esclareça melhor, as nossas sensações, as nossas necessidades, no momento evolutivo presente, com relação aos espíritos em outras dimensões vibracionais, esta está em analogia as sensações e necessidades dos animais as nossas necessidades. 

Meu amigo Euripedes Kuhl escreveu um livro, “Num Outro Mundo”, livro este em que ele fala de uma evolução maravilhosa no campo da tecnologia, na computação, etc., fiquei maravilhado, e ele com certeza chamou a este prodígio literário de ficção, por não ter no momento como explicitar melhor o que apresenta, mas eu acredito de que esta ficção é uma realidade que esta acontecendo em infinitos recantos do universo.

E como o texto já está se tornando longo, direi apenas de que se o átomo não possuísse um principio psíquico, principio este que encerra um eterno vir a ser, como poderia a matéria, que conforme o parecer de alguns amigos queridos é neutra, (morta) estar respondendo as necessidades do espirito em sua caminhada na eternidade?

Ah! Como vai ser maravilhoso quando a física romper as barreiras do empirismo e do convencionalismo cientifico, e estes tiverem a coragem de Einstein e utilizarem a ciência para aprofundarem seus estudos perquirindo os ignotos infinitos que nos aguardam na caminhada eterna. E compreendendo que não sabemos nada, desprovidos de qualquer presunção, amando os fenômenos, e os mesmos lhes responderão, pois aqui também se aplica o buscai e achareis.

E por outro lado quando os espiritas conseguirem se desvencilhar da letra, procurando a essência, atentos a lógica e a razão, parâmetros estes tão vividos por Allan Kardec, com certeza estaremos sequenciando os estudos, da religião universal do amor e da sabedoria, que palpita inevitável no coração de cada criatura, é o encontro marcado com as lições do Cristo de Deus. 

Mas não tenhamos pressa, nós vamos atingir esse momento, pois a evolução embora seja lenta, é ininterrupta e implacável.

Sola