PAE - UM RECANTO DE PAZ

UM REDUTO DE PAZ DE "MARIA DOLORES"

sábado, 5 de novembro de 2016

DEUS NA CONCEPÇÃO ESPÍRITA


Fernando Rosemberg
Se pudéssemos Tudo abarcar de Deus, ao ponto evolutivo em que nos encontramos na Doutrina Espírita, nós o faríamos em apenas seis pontos, ou seis itens, fundamentais:

PRIMEIRO

Deus é a Inteligência Suprema, Causa Primária de todas as coisas. Sua existência se prova pelo axioma científico de que: não há efeito sem causa, e, portanto, a Natureza, o Homem, o Mundo e o Universo astronômico, em sua infinita totalidade, sendo repleto de Leis, de Ordem, de Harmonia e Matematicidade dão a prova incontestável de um Criador Supremo que se define pelos excelsos atributos de: eternidade, imutabilidade, imaterialidade, unicidade, e, revelando, mais ainda: poder supremo, sendo Ele, pois, soberanamente justo e bom, cuja sabedoria se revela nas menores como nas maiores coisas, não nos permitindo duvidar de sua justiça, e, portanto, de sua extrema e máxima bondade.

SEGUNDO

Mais que revelar-se exteriormente, pois que Deus se revela por suas obras, Ele também se revela em nosso sentir, ou, se o quiserem, em nossa Consciência, pois que todos, do menor ao maior, sem exceções, sabem de sua existência e, portanto, negar-Lhe da boca para fora é fácil, sendo muito difícil, senão impossível, retirá-Lo de sua criação, ou seja, de nós mesmos, de nossa intimidade espirítica, ou, como dito: de nossa vígil Consciência.

TERCEIRO

Doutra parte: alega-se que sendo Deus Infinito em Tudo, em Si Mesmo e em Sua criação, então a Mente de Deus é Infinita, e, portanto, abarca Tudo e Todos, nada Lhe escapando de Sua Alta e Infinita Jurisdição. E é bem possível que seja, de fato, assim, pois se imaginássemos um termo para o Universo físico e espiritual, Morada Divina de Tudo e de todos nós, óbvio que, ainda assim, não o encontraríamos, pois se o encontrássemos em determinado ponto de sua finitude, o que teríamos após tal finito: o nada?

Mas o nada não existe e, portanto, há que haver algo além do referido ponto finito de nossa imaginação, além do Universo físico e espiritual; algo, pois, que há de ser Infinito, sem começo nem fim, mesmo que não compreendamos o que tal possa representar por nossas Mentes finitas, mas que já compreendem algo do Infinito, do Espaço que, não tendo um início tampouco terá um fim, dado suas dimensões infinitas.

Logo, poder-se-ia, um tanto equivocado dizer, mas buscando obviamente entender, que:

“Deus é Espírito: um Ser de Inteligência Infinita que, obviamente, ocupa o infinito espacial”.

QUARTO

Mais recentemente o Homem descobrira um dos maiores fenômenos da natureza: o da evolução de todas as coisas, espécies e seres do Universo; e mais: referido Universo, postula-se, como sendo finito no infinito de Universos, resultando daí, a ideia do Multiverso, o que implica, mais uma vez, que Deus é, de fato, de Dimensão Infinita que, não comportando início também não comportaria fim, um Seu termo de finalização. Logo, se somos Seres finitos, Deus, por sua vez, há que ser Infinito, não comportando início e tampouco fim, obrando, eternamente, no Infinito de Sua Capacidade, ou, melhor dizendo: Imensurabilidade.

QUINTO

E, se dantes pensávamos no Fixismo das coisas, hoje, mais crescidos e mais maduros, constatamos que somos Seres em evolução; sendo óbvio, pois, que aquela moderna compreensão da Divindade, já citada, ir-se-á ampliando mais e mais, nos mostrando, gradativamente, outras facetas Suas, ou seja, na medida exata de nossos progressos concomitantes: espirituais e morais.

SEXTO

Relativamente, ainda, ao Criador Supremo, já se obteve, pelo Espiritismo, o axioma de sua operosidade e trabalho constante nos termos de que: ‘Deus há criado sempre, cria incessantemente e jamais deixará de criar’. O que explicita, com clareza, o eterno trabalho do Criador que, para o nosso entendimento temos: para o passado de nossa compreensão: ‘Deus há criado sempre’; e, para o presente da mesma compreensão: ‘cria incessantemente’; e, para o futuro: ‘jamais deixará de criar’.

NO MAIS, UM GRANDE ABRAÇO A TODOS:

Fernando Rosemberg Patrocinio
Blog: filosofia do infinito, ou, como queiram:
fernandorosembergpatrocinio.blogspot.com.br